Análise psicológica YOU – parte 2-

Contém Spoiler!

A segunda temporada de YOU foi lançada pela NETFLIX. Alguns pontos foram esclarecidos por essa segunda parte. Se você não leu a primeira análise, clica aqui pra ler: http://psicologayohana.com.br/2019/01/22/analise-psicologica-da-serie-you/

A temporada começa sem muitas mudanças: Joe adota um novo nome para tentar recomeçar (Will), (já que sua ex Candace quer justiça), e logo conhece sua nova paixão, Love. Diferente da primeira temporada, aqui, ele parece ter certa consciência dos danos que pode causar na vida dos envolvidos. Tenta se manter calmo e controlado para que não machuque ninguém. A primeira vista, até pensamos que isso pode ser possível quando ele liberta o verdadeiro Will após o manter em cativeiro. Em algumas narrativas, Joe diz o quanto é irritante tentar suportar o comportamento das pessoas sem as machucar: Para ele é muito difícil tolerar a frustração.

Em determinado momento, Joe começa a bancar o justiceiro. Ele mata o pedófilo com a justificativa de proteger as menores de idade e em especial, Ellie. O comediante assassinado não era um empecilho ao objetivo de Joe e nem representava uma ameaça. Essa morte não é uma característica de Joe, já que não tinha a ver com seu objeto de obsessão (Love), mas foi motivada por um instinto de proteção e vingança.

Alguns flashes começam a escapar e finalmente conhecemos a infância de Joe. Filho de uma mãe promíscua e vulgar e de um pai agressivo e abusador. Pelas falas percebemos que Joe tinha um constante medo do abandono: “você demorou. achei que tivesse ido embora”. Em um dos abusos do pai contra a mãe, Joe pega uma arma e o mata. Depois disso, cresce em um orfanato, já que sua mãe não tem condições psicológicas para oferecer a ele um lar.

Por outro lado, temos outro exemplo de infância ruim: Forty (irmão de Love). Forty foi abusado sexualmente pela babá quando tinha 10 anos, sem ter consciência de que aquilo era inapropriado para sua idade. Cresceu achando que tinha a matado, quando na verdade sabemos que quem o fez foi Love. Forty deu um jeito de lidar com o trauma: O vicio em drogas o faz fugir dessa realidade, o faz esquecer.

Traumas são INCOMPARÁVEIS. Cada dor é INCOMPARÁVEL. Porém, temos aqui 2 exemplos de infâncias péssimas e 2 jeitos diferentes de lidar com eles. Isso exemplifica muito bem que INFÂNCIAS TRAUMÁTICAS não são decisórias na formação da personalidade do adulto.

Quando Joe está sob o efeito do ácido, parece que as coisas se descontrolam… Mas para nossa surpresa, Joe não mata ninguém. Ele parece virar uma criança indefesa com medo do que pode ser capaz de fazer. Quando Forty conta a Joe sobre o que aconteceu em sua infância, Joe faz mais do que o consolar. Joe SE CONSOLA. Ele diz coisas que claramente gostaria de ouvir: Forty e Joe foram vítimas e não tinham culpa nenhuma da infância que tiveram.

Uma frase é dita repetidas vezes nessa temporada: Problemáticos atraem problemáticos. VERDADE. Joe atraiu Beck, que como já dissemos, era muito vulnerável e sem auto estima. Joe atrai Love, uma chef de cozinha que se deixa corromper e influenciar por uma nova chance no amor. Love mata Delilah por ciúme e Candace para defender Will.

Há uma tentativa de humanizar os atos de Joe na série. De mostra-lo como uma vítima que não consegue sair da repetição, que não consegue parar de matar, seja por autodefesa, justiça, proteção ou obsessão. Na verdade, o personagem de Joe não é capaz de amar ninguém além de si mesmo. Joe foi quebrado: Quebrado pelo abandono da mãe e pelo abuso físico e emocional do pai. Difícil dizer se esse ciclo, um dia, conseguirá ser desfeito.

2 Replies to “Análise psicológica YOU – parte 2-”

  1. muito boa analise! Eu não gostei do final da série, mas realmente problema atrai problema…

  2. BRUNA NASCIMENTO JESUS SANTOS says: Responder

    Ah um momento no final que love pergunta para Joe quando foi a primeira vez , ele responde 9 , isso refere a primeira vez que ele foi abusado ? E se refere a abuso sexual no caso ?

Deixe uma resposta